18 de setembro de 2017

CINECLUBE DAS 6 INDICA: Byzantium

Data de lançamento: 14 de junho de 2013 (Brasil)
Direção: Neil Jordan
Música composta por: Javier Navarrete

Sinopse: Clara é uma jovem mãe vampira que transforma sua filha Eleanor. O segredo de que as duas sobrevivem com sangue humano começa a se espalhar e o passado das mulheres vai voltar para assombrá-las.

Gostaria de começar esta resenha dizendo que Byzantium é um dos poucos filmes que conheço cuja retratação de vampiras não segue a linha criada por Bram Stoker: objetos sexuais alienados. Talvez seja porque foi escrita por uma mulher, Moira Buffini.

(Aliás, Neil é o mesmo diretor de Entrevista com o Vampiro aaa <3 )

O enredo conta a história de Clara e Eleanor, duas vampiras cansadas da vida nômade que seu segredo lhes obrigada a ter. Enquanto Eleanor sofre de uma crise de meia idade(?) vampírica misturada com rebeldia adolescente e os efeitos de um trauma em sua vida mortal, Clara faz de tudo para garantir a sobrevivência de ambas.

A princípio, os atos de Clara parecem ser cruéis e desnecessários, porém, ao longo do desenvolvimento do filme o diretor nos apresenta ao passado da nossa protagonista, revelando os motivos pelos quais toma as decisões que as levam para  hotel Byzantium. Existe toda uma discussão na internet sobre como Clara é uma das poucas personagens femininas feministas do mundo do terror, sendo pioneira ao transformar-se em vampira, quebrando as regras impostas pela sociedade vampiresa da época que não admitia mulheres na irmandade (brotherhood).
[SPOILERS]
Apesar de gerenciar um bordel por boa parte do filme, Clara preza acima de tudo o conforto e segurança de suas funcionárias.  Na minha opinião é até compreensível que esse seja o caminho que ela tenha escolhido ao assumir controle sobre o hotel, visto que é a única vida que conhece desde sua infância. A preocupação que ela tem com as prostitutas ao conhecer o cafetão do ~pedaço~ prova que a personagem possui empatia por outras mulheres, ainda mais depois de seduzi-lo e matá-lo a sangue frio.
[ FIM DOS SPOILERS]

Há também uma discussão acerca da violência cometida por personagens femininas em filmes no geral, pois a representação atual disto é a de que uma mulher que comete um crime hediondo deve ter um bom motivo. Como se a violência não fosse natural para as mulheres, da mesma forma que é para os homens. Não, Mulheres podem ser cruéis e impiedosas, como Clara nos prova diversas vezes durante o filme.

Links sobre o assunto (em inglês):
Continuando, a atriz que interpreta Clara se chama Gemma Arterton e é absolutamente cativante. A atuação é brilhante e extremamente convincente nas cenas de drama e violência.  O mesmo não pode ser dito por Saoirse Ronah, que interpreta Eleanor, trazendo uma vibe meio Kristen Stewart em Crepúsculo, sem expressão alguma. Na minha opinião a direção/produção do filme foram executados com tamanha destreza que a atuação de Saoirse  não chega a atrapalhar. A ambientação das cenas no passado é muito bem feita, assim como a maquiagem que as personagens principais recebem para "vampirizar" seu visual. (Nada gótico, btw). A trilha sonora é condizente, mas não é lá grande coisa.
Byzantium é um filme de terror bom. Ele não só nos traz uma estória muito bem construída, cheia de intrigas, morte e sangue. Não, ele nos traz personagens fortes, que não são alienadas contra seus aliados, não são objetificadas ou precisam ser salvas. É por estes motivos que entra em nossa lista de indicados! 

OBS: O filme (como a maioria dos filmes de terror) foi ignorado pelos cinemas brasileiros e nem em DVD foi lançado aqui.

Trailer:
Nota de 0 a 10: 9.
Por Candy

Nenhum comentário:

Postar um comentário