21 de agosto de 2017

CINECLUBE DAS 6 INDICA: A Noiva de Chucky


Data de lançamento: 22 de Janeiro de 1999
Direção: Ronny Yu
Música composta por: Graeme Revell

Sinopse:  Tiffany (Jennifer Tilly), a namorada de Charles "Chucky" Lee, o famoso serial killer, quando este era vivo, sente a falta dele desde que sua alma foi transferida para o boneco "Guy Doll". Assim, Tiffany consegue resgatar os restos de Chucky, que estavam sendo guardados como evidência policial, e com agulha, linha e uma caixa cheia de pedaços de velhas bonecas consegue refazer Chucky. Através de um ritual vudu, ela faz com que a alma do seu ex-namorado volte para o boneco, mas o "casal" se desentende e ela o tranca em uma pequena jaula e lhe dá como "parceira" uma boneca vestida de noiva. Mas Chucky tem outros planos, conseguindo reverter a situação e colocar a alma de Tiffany na boneca. Chucky e Tiffany precisam encontrar novos corpos, mas para isto precisam do amuleto que foi enterrado junto com o corpo de Charles "Chucky" Lee em Hackensack, New Jersey. Mas, como não pode ir para lá sozinhos, acabam envolvendo Jade (Katherine Heigl) e Jesse (Nick Stabile), um casal de jovens apaixonados que acabam sendo culpados dos crimes de Chucky e Tiffany, sem sequer imaginar que os bonecos são assassinos.



A franquia Child's play é umas mais importantes do gênero terror e teve seu início lá atrás em 1989 nas mãos do diretor Tom Holland (A hora do espanto).

Os três primeiros filmes acompanham a vida de Andy Barclay, que após ganhar o boneco "cara legal" possuído por Charles Lee Ray, tem sua vida mudada tragicamente. A trilogia inicial passou pelas mãos de Tom Holland, John Lafia e Jack Bender mantendo sempre uma boa dosagem de jumpscares e tensão, explorando todas as formas de assassinato possíveis e há quem diga que isso acabou enfraquecendo a temática do boneco assassino, tornando-o boring para algumas pessoas. De repente, para a maioria dos fãs do terror, o boneco assassino estava fora de moda.

Lá na década de 90, surgiu um novo trend: filmes de terror que não eram de terror. O objetivo não era entregar um roteiro excepcional, muito menos dar medo. E foi nessa onda que velho boneco de plástico surfou (ou se afogou).

Com doses de humor negro, novela mexicana e rock n' roll, o Cineclube das 6 indica: A noiva de Chucky, de Ronny Yu.

O 4° filme da franquia rompe com o arco anterior e Andy Barclay deixa de ser uma peça importante na história. Em vez disso, tudo acontece ao redor do casal Charles e Tiffany Ray, sua cúplice e amante desde antes de sua ressurreição como boneco. Alguns podem dizer que esse foi o filme que retirou toda a seriedade e tensão do resto da franquia, enquanto outros podem afirmar que a obra trouxe fôlego ao personagem, exibindo um outro lado de Charles que o público não conhecia: paixão.

O começo o filme anterna em nos introduzir ao dia a dia de Tiffany, que após perder o amor de sua vida não encontra mais graça em nenhuma atividade, seja lendo um bom livro ou assassinando um policial. Sua única esperança de felicidade é recuperar os restos de plástico de seu amado; e de um jovem casal que está prestes a fugir de casa para viver seu romance proibido.

A trilha sonora e a ambientação são o ponto alto do filme. Nunca, em nenhum filme da franquia tivemos músicas tão emocionantes ou condizentes com as sequências filmadas. Destaque especial para "Call me - Blondie" que é quase como a música tema de Tiffany. A ambientação é um show a parte, temos quase tudo que um filme precisa: cemitérios, perseguições de carro, hotéis... Tudo muito bem iluminado e fotografado, assim como as cores que conversam bem entre si.

O roteiro... Bom, a impressão que dá é a de que Charles se tornou outra pessoa. Seu desejo assassino continua ali, mas a seriedade de suas ações, bem como os motivos de sua matança se tornam confusos. Ele vira um palhaço, por assim dizer. Um detalhe que me achou a atenção é a discordancia com os roteiros dos filmes anteriores, que não posso explorar neste texto por conta dos spoilers (assistam pelo menos Brinquedo Assassino 1 para entenderem).

Apesar de não seguir a linha dos filmes anteriores, A noiva de Chucky entra na lista de indicações do Cineclube como uma obra nostálgica para aqueles que são fãs do brinquedo assassino e como um bom filme para dar risada para aqueles que estão começando a se aventurar no gênero.

Trailer:

Nota de 0 a 10: 5.
por Candy

Nenhum comentário:

Postar um comentário